sexta-feira, 25 de julho de 2014

Picolinato de Cromo auxilia no tratamento da Diabetes, inibe a vontade de comer doces e ajuda a emagrecer

Picolinato de Cromo ajuda a diminuir a vontade de comer doces, auxilia no tratamento da Diabetes mellitus tipo II (DMTII), entre outros benefícios.

 

O que é picolinato de cromo?

O picolinato de cromo é uma das formas de suplementação de cromo. Segundo estudos científicos, o picolinato de cromo é o que possui melhor absorção pelo nosso organismo, apresentando, assim melhores resultados.



Mas afinal, o que é o cromo?
O cromo, em pequenas doses, é um mineral essencial para o funcionamento do nosso organismo. Conseguimos obter a quantidade necessária de cromo consumindo alimentos como banana, levedo de cerveja e aveia. No entanto, o consumo de açúcar refinado em excesso provoca redução dos níveis de cromo no nosso organismo, pois aumenta sua eliminação pelo nosso corpo.

Para que serve o picolinato de cromo? O picolinato de cromo emagrece?
A principal ação do cromo é melhorar a resposta do hormônio insulina no nosso organismo. Por este motivo, o picolinato de cromo pode trazer benefícios para pessoas diabéticas, com resistência à insulina ou com síndrome do ovário policístico.


Benefícios do picolinato de cromo:
Diminui a vontade de comer doces e massas, podendo ser um aliado no emagrecimento; Ajuda no ganho de massa magra (massa muscular), pois interage com os receptores musculares de insulina, melhorando, assim, a absorção de carboidratos e aminoácidos pelo músculo; Melhora a produção de energia pelo nosso organismo, aumentando a disposição.

Efeitos colaterais
A suplementação de picolinato de cromo em altas doses e por longos períodos pode trazer danos às nossas células, além de reduzir a absorção de ferro pelo nosso organismo. Por melhorar a ação da insulina, o consumo de picolinato de cromo, quando estamos em jejum, pode causar hipoglicemia, provocando, assim, enjoos e mal-estar. A dica é sempre consumir o suplemento de picolinato de cromo junto com as refeições para evitar possíveis efeitos colaterais.

Nosso corpo precisa de uma quantidade significativa de Picolinato de Cromo circulando em nosso organismo para que tudo permaneça normal.

Entenda quando nosso corpo está carente de Cromo
O organismo entende que não há quantidade suficiente de glicose em circulação e de imediato é enviada uma mensagem à região do cérebro responsável pelo apetite, de que é necessário maior quantidade de carboidratos para que a taxa de açúcar suba rapidamente.

Encontramos essa quantidade em doces, massas e pães. Só que utilizando o carboidrato como fonte para essa necessidade de nosso organismo, o nutriente que dá a energia ficará alojado na região do abdômen, alinhado com a cintura, que fará com que apresentemos aquela “barriguinha” indesejada.

Por isso é necessário investir em alimentos ricos em Picolinato de Cromo, afinal nosso corpo não o produz (cromo). Aí vale apostar em alimentos tais como: frango, fígado de boi, ovos, queijo, banana, espinafre, pimentão, oleaginosas, aspargos, cerveja, cogumelos, ameixa, cereais integrais, carne, vísceras, leguminosos e vegetais, levedo de cerveja, ostras, trigo, pimentão, brócolis, suco de uva, batata, alho, maçã, pimenta, manteiga, melaço, entre outros.


Veja outras informações importantes sobre o Picolinato de Cromo

Durante os últimos 15 anos, uma variedade de estudos nutricionais tem sugerido que o Cr(III) poderia desempenhar um papel essencial nos mamíferos, sendo requerido para o correto funcionamento das rotas metabólicas associadas a carboidratos e lipídeos. O sistema bioinorgânico contendo esse cátion tem sido habitualmente denominado como fator de tolerância à glicose (FTG). Nos estudos clínicos de suplementação de cromo, inicialmente foi utilizado o cloreto de cromo, o qual foi depois substituído por uma variedade de complexos de Cr(III) com ácido nicotínico e alguns aminoácidos simples. Atualmente, uma grande parte dos estudos de suplementação são realizados utilizando-se fermento de cerveja, que é um produto muito rico em cromo
biologicamente ativo. O complexo tris-picolinatocromo(III), cuja estrutura é mostrada na Figura, aparece atualmente como um dos mais importantes e mais populares suplementos nutricionais, cuja comercialização mundial gera anualmente mais de 100 milhões de dólares. Esse composto está sendo utilizado nos tratamentos de obesidade e para o fortalecimento muscular e foi também recomendado nas terapias de diabetes de tipo II.


AVALIAÇÃO DA SUPLEMENTAÇÃO DE CROMO EM PACIENTES DIABÉTICOS TIPO II EM UM CENTRO DE SAÚDE DE BRASÍLIA-DISTRITO FEDERAL

Diabetes mellitus (DM) atualmente é considerada uma das principais doenças crônicas que afeta o homem contemporâneo, acometendo populações de países em todos os estágios de desenvolvimento econômico e social. A importância de DM vem crescendo nas últimas décadas em decorrência de vários fatores, tais como: processo de urbanização e industrialização, aumento da expectativa de vida e sobrevida, maior consumo de dietas hiperenergéticas e ricas em açúcares simples, mudança dos estilos de vida tradicionais para modernos, inatividade física e obesidade.

Diabetes mellitus tipo II (DMTII) é uma doença de ordem mundial, que acomete frequentemente adultos. Para o ano 2000 a estimativa dessa doença foi de 171 milhões de novos casos. Calcula-se que esse número alcance, aproximadamente, 366 milhões até 2030. A população urbana, mais afetada pelo DMTII, deve dobrar em países em desenvolvimento entre 2000 e 2030. Esta mudança demográfica está associada ao aumento na prevalência de diabetes, além do incremento da proporção de pessoas com mais de 65 anos de idade. No Brasil, acredita-se que esse número alcance 11,3 milhões de pessoas.

O cromo está presente em muitos suplementos nutricionais e plurimineral e encontra-se disponível na forma de sais: cloreto, picolinato, nicotinato, citrato e pidolato. O cloreto de cromo é absorvido em menor quantidade (0,4%) e o picolinato de cromo possui sua absorção aumentada (0,7-5,2%). Atualmente, esse mineral tem sido utilizado como suplemento dietético em pacientes que necessitam de controle glicêmico. Evidências científicas apontam que a sua deficiência na dieta contribui para a intolerância à glicose e alterações relacionadas
ao perfil lipídico. Isto se explica porque a função primária do cromo é a de potencializar os efeitos da insulina, com melhora da tolerância à glicose e, consequentemente, do metabolismo de carboidratos, lipídios. Nesse sentido, acredita-se que o suplemento de cromo é essencial para os seres humanos, especialmente para os diabéticos, uma vez que esses pacientes apresentam metabolismo alterado desse nutriente, necessitando de maiores quantidades deste suplemento nutritivo, devido a sua maior assimilação. Os diabéticos absorvem mais cromo que os não diabéticos por sofrer maiores perdas deste elemento pela urina. 


Uma maneira de perceber a baixa concentração de Picolinato de Cromo no organismo é a compulsão por doces. Aí vale a visita a um especialista para comprovar a necessidade do mineral através de um exame de sangue. 
Quem pratica atividade física e transpira bastante deve sempre caprichar na quantidade de Cromo, pois o mesmo é eliminado pelo suor. Enfim, o Cromo se mostra como peça importante de nosso organismo, e não excedendo sua dosagem ele pode ser usado a nosso favor tanto para impedir problemas relacionados com a obesidade e diabete quanto, quando há a prática de exercício físico como a musculação ele ajudará na queima de gordura e no ganho de massa magra além de ser ótimo para intensificar a definição muscular.



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...