quinta-feira, 29 de março de 2012

Vantagens de ser uma boa pessoa!


A história extraoficial, aquela que corre de boca em boca, mas não é registrada em livros, criou uma expressão popular na região das Missões, no estado do Rio Grande do Sul. Segundo a cultura local, os primeiros jesuítas europeus que construíram com os índios guaranis os Sete Povos das Missões, costumavam aplicar uma tática de doutrinação religiosa, ou seja, esculpiam na madeira imagens do tamanho de uma pessoa. Essas imagens representavam alguns santos da Igreja Católica e eram ocas. Colocadas em lugares estratégicos, os padres encarregados pela catequização costumavam entrar nessas imagens ocas e falar aos índios como se fossem os próprios santos transmitindo suas mensagens.

Verdade ou não, o "santinho do pau oco" virou expressão popular que caracteriza o indivíduo que passa uma imagem de "santo", mas que na verdade, "por dentro" é outra pessoa. Não é o caso, é óbvio, da pessoa que pratica o bem, sem olhar a quem, porque assumir a prática do amor fraternal exige transparência de sentimentos onde não há lugar para o fingimento ou a representação. Nesse sentido, não precisamos ser santos ou beatos para afirmar o bem em nossas vidas. Basta deixar fluir a energia do amor que trazemos internalizada em forma de centelha divina...

Essa fagulha, quando acesa em forma de chama interior, tem o poder de transformar realidades através do exercício da caridade, da cura, da proteção espiritual, do autoconhecimento e do progresso espiritual. Portanto, praticar o bem sem interesses ou segundas intenções, tem vantagens que não imaginamos, porque vivemos em um mundo onde o sofrimento, associado à esperteza, limita a nossa visão para o que é puro e transparente nas relações interpessoais.

Por este motivo, as crianças despertam em nós a ternura e a pureza esquecidas em algum lugar do passado. São elas a referência e a esperança de um mundo onde os bons sentimentos possam ser compartilhados no convívio social. Porém, para compartilhar bons sentimentos, precisamos exercitá-los no dia-a-dia de nossas vidas, porque toda mudança interior, por mais gradual que seja, exige adaptação e troca de energia áurica, que é o campo energético ao nosso redor que informa ao Universo se somos ou não seres amorosos.

O grande desafio para quem pretende, aos poucos, trocar a sua energia áurica, é manter-se focado no bem. Tarefa difícil quando se vive em uma sociedade competitiva, cuja orientação e filosofia induzem a ser esperto para levar vantagem sobre o outro. No entanto, estamos falando de "vantagens" fundamentadas em bens eternos e não bens perenes que se acabam com o passar do tempo. Estamos falando de transparência de atitudes e de sentimentos elevados, e não de títulos, status social ou aparências.

Trilhar o caminho da verdade de cada um exige, acima de tudo, perseverança no bem. Esse caminho nos leva à cura de nossos males e à conquista do equilíbrio bio-psíquico-espiritual que contempla um estado de saúde integral, idealizado pelas religiões de fé raciocinada, pela filosofia, medicina e psicologia.

Ser ou tornar-se uma boa pessoa, não exige, necessariamente, vínculo religioso ou abstinência de certos prazeres "mundanos", como a diversão, o lazer e a prática do sexo, entre outros, que são inerentes à pessoa humana e importantes à sensação de bem-estar e equilíbrio.

O indivíduo focado no bem cultiva a bondade dentro e fora de si mesmo, sem fazer alarde ou uso pessoal desse instrumento que lhe é inato e natural, pois, como aprendiz que é, aprende a cada lição de vida algo novo a respeito de sua condição de homem de bem.
No contexto social em que interage a pessoa de bons sentimentos, podemos relacionar algumas vantagens que ela acumula com a sua prática desinteressada.

Em processo de libertação da energia da maldade, que turva visões e endurece corações, a pessoa de bem ilumina o seu próprio caminho; Como possui luz própria e foco no bem, o seu campo áurico passa a ser o reflexo de sua alma; Com o cultivo da simplicidade, a paz interior torna-se garantia da colheita de bons frutos;
Com o coração em processo de pacificação, as somatizações orgânicas e as psicossomatizações tendem a desaparecer, assim como as doenças em geral; Com o autoconhecimento proporcionado pela reforma interior (íntima), dúvidas ou questionamentos a respeito da vida e da morte, começam a ser elaborados através de respostas que fluem pela intuição, que é um canal ligado à espiritualidade superior; Com a perseverança no bem, a percepção do "caminho do meio" que é a sensação de equilíbrio vital, é incorporada ao âmbito das percepções normais. Dessa forma, ao possuir uma referência básica, o indivíduo tende a "recair" cada vez menos em relação aos "altos e baixos" característicos da condição humana no planeta Terra.


Enfim, as conquistas adquiridas pela alma que cultiva sentimentos elevados, relacionam-se, intimamente, aos valores do espírito. Sem esquecermos, é evidente, que cada espírito possui um ego e um corpo físico que precisam ser considerados no contexto vital. Caso contrário, estaremos negligenciando a nossa natureza corpórea, que necessita de sensações prazerosas para se sentir bem no mundo em que vivemos.

Amor, Autoestima e muita Luz!


http://www.stum.com.br/p.asp?i=4651
por Flávio Bastos


“Só uma imensa vontade de partilha, para que a todos tudo chegue, me move...tudo o que seja pensado acima desta fasquia medida por uma fraqueza humana (EU mesmo) mas confiante na Providência Divina, são meras suposições humanas que eu declino em amor e verdade perante Aquele que "sonda os corações e conhece os pensamentos mais escondidos." (ad)




domingo, 25 de março de 2012

Corpo, mente e espírito em harmonia


Prosperidade Pessoal

Busque o contato com a Natureza
Coloque essa meta em sua vida. O verde ativa o processo interior de autocura, tanto física quanto emocional. Pisar descalço na terra descarrega as energias negativas. Sempre que possível, deve-se fazer uma caminhada observando a Natureza. Se você tiver um quintal, cultive uma horta. Se não tiver, cuide de algumas plantas na janela de seu apartamento. Esse contato tem o poder de purificar as células e acalmar o espírito.
O sol libera sua vitalidade e restaura sua vibração física e emocional. O contato com o mar neutraliza as energias negativas e recarrega o campo eletromagnético, a aura. Banhos de cachoeira ativam a vida celular e também energizam a aura, além de hidratar a pele e os cabelos. E não se esqueça, você é parte da Natureza e deve estar em harmonia com ela.

Cuide do corpo
Quando se cuida do corpo, também se cuida da mente. Os exercícios estimulam o fluxo de energia vital, melhoram o condicionamento físico e proporcionam uma sensação de bem-estar.  Escolha um exercício que mais o agrade. Caminhar, dançar e nadar são os mais recomendados. A prática de exercícios bioenergéticos como a ioga e o tai ch’i chuam, entre outros, é fundamental para o equilíbrio do corpo e da mente. Reserve, todos os dias, um tempo para cuidar do seu corpo. O mais difícil é tomar a decisão de começar. Mas depois de vinte e um dias de exercícios, ou práticas, o cérebro registra isso como hábito e tudo fica mais fácil.

Mantenha uma alimentação saudável
Respeite os momentos das refeições. Preste atenção ao que está fazendo. Não assista à tevê, enquanto come, e evite marcar discussões de negócios para essa hora. Não fale de problemas. Acalme-se, olhe para seu prato e lembre-se: o que está ingerindo irá para o interior das suas células e será parte de você, tanto física como mentalmente. Seu corpo é cem por cento natural. Uma alimentação artificial é incompatível com a sua natureza.
Evite, também, alimentar-se de carne, pois os animais levam uma vida inteira sendo maltratados, principalmente no momento do abate. E todas as suas emoções, tais como, o medo, o desespero, a tristeza, ficam em forma de energia negativa impregnada nas carnes ingeridas. Procure manter uma dieta lacto-vegetariana.

Harmonize seu ambiente
Abra portas e janelas e comece uma limpeza. Inicie pelo guarda-roupa, pelos armários. Retire tudo o que está lá dentro e só guarde o que realmente está precisando. O resto elimine da melhor forma que imaginar: doando, vendendo ou trocando. Faça o mesmo em todas as dependências da casa ou do escritório. Deixe só o necessário. Roupas e objetos que estão sem uso perdem a função vital, bloqueando, assim, o fluxo de energia no ambiente. E a falta da energia ou a energia parada adoece a casa, você e sua família. Repita essa tarefa, periodicamente, com a consciência de que estará fazendo uma faxina emocional.

Preste atenção no que você pensa   
Perceba os seus pensamentos. Ao longo do dia você tem milhares deles, negativos e positivos. Isso tem uma enorme força sobre a sua vida. Você atrai o que pensa. Você pode mudar sua vida mudando a qualidade de seus pensamentos. Cultive aqueles que são elevados. Pensar é criar realidade. Ao prestar atenção no que está pensando, você adquire maior controle sobre a energia mental e, consequentemente, sobre sua vida. Procure ler frases de afirmações construtivas e biografias de pessoas bem sucedidas. Entretanto, mesmo com esses cuidados, muitas vezes, pensamentos negativos assaltam-nos a mente. Quando isso acontecer, repita por sete vezes: “Isso não tem força sobre mim”.

Busque conhecimento
Leia regularmente algo que melhore você e sua qualidade de vida. Bons livros ajudarão a aflorar a sabedoria que já existe em você. Aplique os conhecimentos na sala-de-aula de sua existência.

Exercite a reflexão pessoal
Dedicando tempo para se conhecer, você se conectará com a essência de seu ser. Benjamin Franklin, todas as noites, depois do trabalho, recolhia-se a um canto silencioso de sua casa e refletia sobre seu dia. Percebendo com clareza o que havia feito, podia agir para aperfeiçoar e avançar no caminho do autodomínio. Os sábios chegam a anotar os pensamentos que passam por suas mentes e desenvolvem o hábito regular da introspecção. Descubra o que está certo e o que está errado em seus dias e em sua vida. Em seguida, implemente aperfeiçoamentos imediatos. 

Aceite a vida
Pare já de reclamar. Volte sua mente para o que a vida oferece de bom. Aceite viver neste Planeta Azul e curta a viagem da melhor maneira possível. Lembre-se que ela tem fim, então faça bom proveito. Ajude ao próximo, seja uma pessoa sincera e alegre. Procure trabalhar com amor. Aceite as pessoas como elas são e, principalmente, aceite-se como você é, seu corpo, sua personalidade. Mas aceitar não significa se acomodar ante os problemas e dificuldades da vida. Tenha atitudes para mudar o que você precisar mudar.

Pratique o perdão
Mágoas e ressentimentos impedem o fluxo da prosperidade, seja financeira, seja com relação à sua saúde. Perdoe aos outros pelo que fizeram a você e perdoe, da mesma forma, a si próprio. Entenda que todos somos falíveis. Então, perdoe-se. Os sentimentos que você nutre por você mesmo e pelos outros influem na sua capacidade de ser próspero. Não seja demasiadamente crítico. Não julgue o comportamento dos outros. 
O perdão é uma limpeza emocional. Relacione as qualidades das pessoas com as quais você acha que precisa se harmonizar, relembre os momentos bons que vocês tiveram, caso tenham ocorrido


Determine para si mesmo uma atitude de libertação emocional, fazendo afirmações como: “Fulano, eu sou grato por tê-lo conhecido”, “Eu o perdoo e o libero para o Amor Divino”. Em seguida, envie essa mensagem mentalmente àquelas pessoas às quais ela se refere. O processo de perdão precisa ser constantemente repetido, até que você sinta um profundo estado de paz com relação a essas pessoas e circunstâncias.     

Tenha objetivos
Tenha objetivos materiais e espirituais. Busque sempre melhorar sua situação financeira, planeje comprar bens, faça investimentos, realize viagens e busque tudo o que tiver vontade. O bem-estar é alcançado por meio dos objetivos materiais e também dos espirituais. Portanto, vá à conquista de se tornar uma pessoa mais paciente, bondosa, serena, confiável, amiga, humilde, aberta, sincera, simples. E, principalmente, tenha fé e confiança na vida. Tudo isto pode garantir o equilíbrio, a satisfação e a razão de viver.

Converse com Deus
Os gregos espiritualistas evitavam dizer o nome de Deus, pois achavam seu vocabulário muito limitado para expressar a grandeza Dele. Então, todas as vezes que tinham de falar sobre Deus, usavam a expressão o TODO. Aprenda a estar em sintonia com o TODO. Ele está ao seu redor e, principalmente, dentro do seu coração. Existem várias formas de conversar com Deus. A escolha de uma ou outra fica a seu critério. O importante é fazê-lo. Ore, agradecendo por tudo que você possui. Você pode fazer isso de várias maneiras: ficando em silêncio, contemplando o nascer ou o pôr-do-sol, ouvindo uma determinada música, dançando, enfim, celebrando a vida. Lembre-se, ficar triste ofende a Deus.

Cultive a energia do Amor
A finalidade da jornada da alma na Terra é aprender a amar. E esse aprendizado se dá nas relações humanas, seja com a família e com os filhos, seja com os parceiros, com as pessoas com quem se trabalha ou em outras formas de encontros. Cada pessoa vem nos mostrar os diferentes ângulos da nossa forma de amar. Precisamos estar abertos para aprender a amar a todos, nas mais diferentes formas. Mas é impossível amarmos aos outros se não amamos a nós mesmos. Todos os conhecimentos milenares ensinam que o dinheiro é a manifestação de Deus em nossas vidas e que a nossa energia natural é o amor. Fomos criados pelo amor de Deus. Assim, para que a abundância flua em nossa vida, devemos trabalhar com a energia do amor.

Tenho constatado que, quando, por algum motivo, eu interrompo a vibração do amor em minha vida, estou colocando uma restrição no meu suprimento material. Sem a intensa irradiação do amor, sua manifestação não pode ocorrer. Desta forma, para que as coisas tomem forma, devemos estar em amor. Também para que vibrações ruins se dissolvam, é necessário que estejamos nesse estado. Devemos amar apaixonadamente a vida e acolher com amor a tudo e a todos. A alegria e a gratidão vêm de corações amorosos. Se você não se sente capaz de amar, neste momento, pratique. Encontre alguém ou alguma coisa que você possa amar, centre a irradiação do amor nisso. Também comece a mudar em relação às pessoas e situações que você tem dificuldade de amar. Ame a vida e cada manifestação física dela.

Esteja atento ao poder da palavra
Mantra é um conjunto de palavras reunidas para criar um efeito positivo. Em sânscrito, man significa mente e tra significa liberta. Portanto, mantra é uma frase desenvolvida para libertar a mente. As palavras afetam as mentes de forma acentuada. Tudo que se diz tem força. Seja para os outros ou para si mesmo. Você diz o que pensa, consciente ou inconscientemente, e você é o que você pensa. Críticas e palavras negativas alojam-se no subconsciente, escurecem a alma e envenenam o espírito. Isso nos desvia do caminho da prosperidade. Se você, verdadeiramente, quer manter sua energia natural de forma produtiva, desenvolva, em sua consciência, o hábito de usar somente expressões verbais inofensivas e construtivas.

Inclua a boa música em seu cotidiano
Música é vibração, modifica as frequências do ambiente. O som das batidas do coração humano sincroniza os hemisférios esquerdo e direito do cérebro, gerando, não apenas foco, mas discernimento espiritual e lucidezAlguns códigos sonoros têm a frequência do holograma universal, que codifica o ritmo e a pulsação de toda a energia e de toda a matéria.

(HOLOGRAFIA/HOLOGRAMA: tipo de fotografia especial baseada na luz coerente (laser), inventada por Dennis Gabor (ganhador do Prêmio Nobel). A placa holográfica aparenta ser um padrão incoerente de ondas; entretanto, quando iluminada por um laser adequado, surge como que pairando sobre ela, uma imagem tridimensional do objeto holografado, na qual qualquer “pedaço” do holograma, quando iluminado, é capaz de reproduzir toda a imagem, embora com menos detalhes do que se obteria com o holograma inteiro. A holografia possibilita armazenar uma quantidade extrema de informações, com riqueza tridimensional. Metaforicamente, podemos dizer que fazemos parte de e que somos um Holograma Universal, onde tudo está intimamente ligado entre si, nada ocorrendo ao acaso. Microcosmos que somos, nossas energias formam um holograma onde toda e qualquer informação psíquica/física se encontra acessível em qualquer parte de nosso ser. Este conceito de inter-relação entre todas as coisas vem revolucionando diversos campos do saber humano, criando o chamado paradigma Holístico).

Ouça um pouco de música diariamente, mesmo que seja somente no carro, a caminho do trabalho. Seja seletivo naquilo que você ouve. Escolha aquele tipo de música que enleva seu espírito. Aquelas que sejam verdadeiras orações para você ou que reflitam seus propósitos. Se possível instale um aparelho de som no seu local de trabalho e permita-se ser agradavelmente embalado, enquanto cumpre suas obrigações. Cante sozinho, no banheiro, no carro, caminhando. Alto ou baixinho. Cantarole. Isso aciona a sua glândula pituitária. É ela que determina o seu estado de espírito.



Utilize seus talentos
Você tem dons e talentos. Descubra quais são eles e comece a pô-los em prática. A saúde física e emocional depende muito desses talentos. Pessoas que não utilizam essa energia criativa bloqueiam seu fluxo energético e adoecem física e emocionalmente. Canalize seus talentos com o propósito de melhorar a vida das pessoas. Este é um excelente caminho para encontrar prazer, equilíbrio e crescimento em sua vida.

Compartilhe, doe
Se quer que o Universo lhe dê as coisas, de uma forma liberal e amorosa, você deve agir da mesma maneira com os outros. Quando você compartilha livremente e com amor o excesso que possa ter, você é recompensado com uma prosperidade ainda maior para que mais possa compartilhar e, assim, criar um fluxo de prosperidade em sua vida.  Considerando o compartilhar, já provei a mim mesma que, quanto mais alegremente compartilho, mais feliz eu fico e mais abundância tenho. Não compartilhe os seus bens sob pressão. Faça-o com alegria. Se você se sentir bem, ofertando para uma igreja, faça-o. Se preferir dar para uma instituição de caridade, faça-o. Se achar melhor, ajude a um amigo que passa por dificuldades. Quem sabe um estranho? Qualquer dessas formas colocá-lo-á no fluxo da prosperidade. Ao compartilhar, você se abre para receber. Essa é a forma como a Lei Universal da Abundância funciona.


Ao término de um período de decadência sobrevém o ponto de mutação. A luz poderosa que fora banida ressurge. Há movimento, mas este não é gerado pela força... O movimento é natural, surge espontaneamente. Por essa razão, a transformação do antigo torna-se fácil. O velho é descartado, e o novo é introduzido. Ambas as medidas se harmonizam com o tempo, não resultando daí, portanto, nenhum dano.” (Ponto de Mutação I Ching ♥♥♥ Kodoish, Kodoish, Kodoish Adonai Tsebayoth)






terça-feira, 13 de março de 2012

AUTO-ESTIMA - Como aprender a gostar de si mesmo!


A importância da auto-estima

A forma como nos sentimos acerca de nós mesmos é algo que afeta crucialmente todos os aspectos da nossa experiência, desde a maneira como agimos no trabalho, no amor e no sexo, até o modo como atuamos como pais, e até aonde provavelmente subiremos na vida. Nossas reações aos acontecimentos do cotidiano são determinadas por quem e pelo que pensamos que somos. Os dramas da nossa vida são reflexo das visões mais íntimas que temos de nós mesmos. Assim, a auto-estima é a chave para o sucesso ou para o fracasso. É também a chave para entendermos a nós mesmos e aos outros.

Além de problemas biológicos, não consigo pensar em uma única dificuldade psicológica – da ansiedade e depressão ao medo da intimidade ou do sucesso, ao abuso de álcool ou drogas, às deficiências na escola ou no trabalho, ao espancamento de companheiros e filhos, às disfunções sexuais ou à imaturidade emocional, ao suicídio ou aos crimes violentos – que não esteja relacionada com uma auto-estima negativa.

De todos os julgamentos que fazemos, nenhum é tão importante quanto o que fazemos sobre nós mesmos. A auto-estima positiva é requisito importante para uma vida satisfatória.

Vamos entender o que é auto-estima.

Ela tem dois componentes: o sentimento de competência pessoal e o sentimento de valor pessoal. Em outras palavras, a auto-estima é a soma da autoconfiança com o auto-respeito. Ela reflete o julgamento implícito da nossa capacidade de lidar com os desafios da vida (entender e dominar os problemas) e o direito de ser feliz (respeitar e defender os próprios interesses e necessidades).

Ter uma auto-estima elevada é sentir-se confiantemente adequado à vida, isto é, competente e merecedor, no sentido que acabamos de citar. Ter uma auto-estima baixa é sentir-se inadequado à vida, errado, não sobre este ou aquele assunto, mas  ERRADO COMO PESSOA.

Ter uma auto-estima média é flutuar entre sentir-se adequado ou inadequado, certo ou errado como pessoa e manifestar essa inconsistência no comportamento – às vezes agindo com sabedoria, às vezes como tolo – reforçando, portanto, a incerteza.

A capacidade de desenvolver uma autoconfiança e um auto-respeito saudáveis é inerente à nossa natureza, pois a capacidade de pensar é a fonte básica da nossa competência, e o fato de que estamos vivos é a fonte básica do nosso direito de lutar pela felicidade. Idealmente falando, todos deveriam desfrutar um alto nível de auto-estima, vivenciando tanto a autoconfiança intelectual como a forte sensação de que a felicidade é adequada. Entretanto, infelizmente, uma grande quantidade de pessoas não se sente assim.

Muitas sofrem de sentimentos de inadequação, insegurança, dúvida, culpa e medo de uma participação plena na vida – um sentimento vago de “eu não sou suficiente”. Esses sentimentos nem sempre são reconhecidos e confirmados de imediato, mas eles existem. No processo de crescimento e no processo de vivenciar esse crescimento, é muito fácil que nos alienemos do auto-conceito positivo (ou que nunca formemos um). Poderemos nunca chegar a uma visão feliz de nós mesmos devido a informações negativas vindas dos outros, ou porque falhamos em nossa própria honestidade, integridade, responsabilidade e auto-afirmação, ou porque julgamos nossas próprias ações com uma compreensão e uma compaixão inadequadas.

Entretanto, a auto-estima é sempre uma questão de grau. Não conheço ninguém que seja totalmente carente de auto-estima positiva, nem que seja incapaz de desenvolver auto-estima.

Desenvolver a auto-estima é desenvolver a convicção de que somos capazes de viver e somos merecedores da felicidade e, portanto, capazes de enfrentar a vida com mais confiança, boa vontade e otimismo, que nos ajudam a atingir nossas metas e a sentirmo-nos realizados. Desenvolver a auto-estima é expandir nossa capacidade de ser feliz.
Se entendermos isso, poderemos compreender o fato de que para todos é vantajoso cultivar a autoestima.

Não é necessário que nos odiemos antes de aprender a nos amar mais; não é preciso nos sentirmos inferiores para que queiramos nos sentir mais confiantes. Não temos que nos sentir miseráveis, para querer expandir nossa capacidade de alegria.

Quanto maior a nossa auto-estima, mais bem equipados estaremos para lidar com as adversidades da vida; quanto mais flexíveis formos, mais resistiremos à pressão de sucumbir ao desespero ou à derrota.

Quanto maior a nossa auto-estima, maior a probabilidade de sermos criativos em nosso trabalho, ou seja, maior a probabilidade de obtermos sucesso.

Quanto maior a nossa auto-estima, mais ambiciosos tenderemos a ser, não necessariamente na carreira ou em assuntos financeiros, mas em termos das experiências que esperamos vivenciar de maneira emocional, criativa ou espiritual.

Quanto maior a nossa auto-estima, maiores serão as nossas possibilidades de manter relações saudáveis, em vez de destrutivas, pois, assim como o amor atrai o amor, a saúde atrai a saúde, e a vitalidade e a comunicabilidade atraem mais do que o vazio e o oportunismo.

Quanto maior a nossa auto-estima, mais inclinados estaremos a tratar os outros com respeito, benevolência e boa vontade, pois não os vemos como ameaça, não nos sentimos como “estranhos e amedrontados num mundo que nós jamais criamos” (citando um poema de   A. E. Housman), uma vez que o auto-respeito é o fundamento do respeito pelos outros.

Quanto maior a nossa auto-estima, mais alegria teremos, pelo simples fato de ser, de despertar pela manhã, de viver dentro dos nossos próprios corpos. São essas as recompensas que a nossa autoconfiança e o nosso auto-respeito nos oferecem.


Auto-estima, seja qual for o nível, é uma experiência íntima; reside no cerne do nosso ser. É o que EU penso e sinto sobre mim mesmo, não o que o outro pensa e sente sobre mim.

Seja feliz!



Nathaniel Branden – Psicólogo, escritor e um dos pioneiros no estudo da auto-estima e desenvolvimento pessoal.

domingo, 11 de março de 2012

Terapia - Eu só quero alguém que me escute!

Desabafo da alma...
“Hoje foi um dia difícil, sinto um insistente nó na garganta e um aperto no peito, embora procure nos contatos de telefone e nos velhos amigos, fica a sensação de não ter com quem conversar, pois existe em mim, um receio em parecer fraco ou ser mal interpretado. Gostaria de ser poupado do olhar espantoso ao contar meus tropeços e de obter atenção em cada palavra externada. Na última conversa com um amigo tive minhas preocupações subestimadas, me cansei de conselhos prontos e frases clichês. Minhas emoções estão todas trancadas em um quarto escuro, mal posso ver e tenho medo de acender a luz, tamanha a desorganização interna que me encontro, mas preciso dividir o peso com alguém que me ajude a organizar essa bagunça.”


“Há vários dias, que me sinto como que amputada, Falta-me uma asa!
Asa emprestada, asa usada.  Falta-me.
Nasce um nó na garganta,  aperto no peito, tudo porque a minha asa voou, rumo ao lugar que escolheu. Rumo ao seu querer, seu sentir. Eu fiquei quieta, quase estática.
Falar não vale a pena ninguém me entenderia. Por isso, meu nó na garganta cresce, por isso solidão dói. Mas há que reaprender a voar.


Há que seguir em frente. Com dor? Com magoa? Talvez. Mas que importa?
A vida vai seguir o seu curso, indiferente a tudo e todos, e eu sou uma gota d’água, no mar da vida, uma gota d’água, que tem de crescer, que tem de aprender a virar copo, depois quem sabe, rio na vida de alguém.
Rio de ternura, rio de amor, e não essa gota e d’água que se dá quando não tem mais nada. Busca-se um pouco de consolo. A vida passa, e cada minuto é único, vou, pois, viver cada um, indiferente ao que se passa ao meu redor, vou ser o que nunca achei certo, mas vou. Ser eu mesma. Indiferente  á vida que me tem passado ao lado sem eu nunca a viver. Vou viver, custe o que custar ou a quem custar.”

Eis aqui o trecho de dois desabafos, dois pedidos da alma, por alívio e saúde mental. Talvez seja algo que você tenha vontade de dizer, também pode acontecer quando escutamos uma música em que o compositor traduz exatamente o que se passa conosco. Às vezes carregamos malas abarrotadas de entulhos e objetos desnecessários, que insistimos em levar, não importando quão longo será o caminho. E depois de muito caminhar, os pés começam a reclamar, os braços doem e paramos no meio da estrada percebendo que não se vai muito longe sozinho.

Neste momento a única saída é admitir e pedir ajuda. Seus familiares estão ocupados demais, e o restante das pessoas que você conhece parece ter soluções para tudo! Você só quer alguém que ouça, e não uma receita de bolo.
E o psicólogo?  Fazer terapia?!

Imagina, isso é coisa para louco, eu não preciso de terapia, posso resolver meus  problemas sozinho. Você acha que vou contar minha vida e minhas intimidades a um estranho?

Este é um discurso típico do senso comum e ouvido com muita frequência. Embora a procura por profissionais da psicologia tenha aumentado nos últimos tempos, o índice de rejeição ainda é bastante alto. A criação de um estigma impede que as pessoas conheçam o verdadeiro trabalho oferecido por nós profissionais desta área.

Temas como: depressão, ansiedade, estresse, pânico, transtornos alimentares, disfunções sexuais, entre outros, são comuns de serem encontrados em matérias de jornais e revistas, em  blogs e sites na internet, todavia ressalto com muita segurança, o quão importante é conscientizar-se acerca do verdadeiro sentido em fazer terapia. Dentro do ambiente (setting) terapêutico não existe aquele que apenas escuta e aquele que apenas fala, é uma relação de troca e até mesmo o silêncio é considerado como parte do processo terapêutico e respeitado como tal.

Considero de suma importância, que exista empatia nessa relação. Alguém disposto a estender as mãos a quem o procura e o ajuda a pensar no que realmente se passa do outro lado da barreira física. Sem sombra de dúvida a terapia pode ser a chave para a compreensão, minimização e talvez a cura de conflitos e sofrimentos psíquicos que impedem o ser humano, de ser feliz. Fazer terapia é mais que tratar compulsões e transtornos, sua dimensão vai para além das teorias encontradas na literatura... Poderíamos citar inúmeros benefícios.

Não somos tão autossuficientes, o quanto pensamos que somos, até mesmo o psicólogo necessita da ajuda de outro psicólogo.  Somos capazes de priorizar tantas coisas na vida, no entanto, não priorizamos cuidar de nossos sentimentos e emoções e equilibrá-los e a terapia pode ser um dos caminhos que promoverá a melhora e o autoconhecimento do ser humano.

"A passagem por uma análise torna o sujeito não apenas mais responsável pelo desejo que o habita, mas também preserva as pessoas que lhe são mais próximas, aquelas que dependem de seu afeto e de sua compreensão - filhos, parceiros, subordinados etc -, de se tornarem objetos das projeções e das passagens ao ato de quem não quer assumir as condições de seu próprio conflito." (pág. 32, Sobre Ética e Psicanálise., Maria Rita Kehl)".
            
Por isso, convido você a se permitir essa linda vivência. Pense nisto!

“Se submeter a terapia é para aqueles que ousam desafiar seus próprios fantasmas!” (sart)

sexta-feira, 9 de março de 2012

O Passado, Presente!


Que importância tem o passado dentro do tratamento analítico? (terapia)

"Atiramos o passado ao abismo - mas não nos inclinamos para ver se está bem morto." (William Shakespeare)

"Os verdadeiros progressistas são os que partem de um profundo respeito ao passado." (Joseph Ernest Renan)

Ouço, com frequência, pessoas dizendo que “o passado não mais importa, que o valor da vida deve estar focado em nosso presente e nossa atenção voltada para o futuro”.
As pessoas questionam o por que a psicanálise ou a psicoterapia de orientação psicanalítica, se volta para o passado da história de vida do analisando (paciente). Acham isso um desperdício de tempo, dinheiro e que nada mais é do que um capricho. Muitos dizem que o passado já passou e não há mais o porque de se voltar a ele e que devem apenas seguir em frente. Há quem diga que não se sujeitaria a contar suas particularidades e seus segredos mais íntimos, a um estranho. No entanto, há uma forte razão para que assim seja.

O que será que as pessoas, que pensam desse jeito, estão perdendo? Que importância tem o passado dentro do tratamento analítico? (análise ou terapia, popularmente conhecido)

Antes de responder quero levantar alguns fatos.
É fato que o seu dia de hoje será o seu ontem amanhã, correto?
Que o seu ontem foi um dia o seu hoje, e que o seu hoje foi, há digamos... Um mês atrás, o futuro que estaria por vir, concorda?
Pois bem, essas três instâncias do tempo, passado, presente e futuro, fazem parte de nossas vidas assim como o ar que respiramos.

A psicanálise ensina que o inconsciente é atemporal, ou seja, que registros e memórias do passado podem ser trazidos à consciência a qualquer momento. Na análise há alguns momentos em que se voltar para o passado faz todo sentido para se entender o presente. Todas as pessoas carregam uma história e é através dela que se pode entender como algumas coisas que não ficaram bem resolvidas ainda cobram, no tempo presente, um preço muito alto na qualidade de vida.

Alguns fatos passados ficam como marcas e muitas delas machucam. Então durante a análise tem-se a chance de ver esse passado com outro olhar e com isso encontrar alternativas que permitam suavizar essas marcas.

Quando um paciente está no consultório, em tratamento, memórias são trazidas à consciência, carregadas de afeto e sentimentos. Estes sentimentos que estão presos nestas memórias, recalcadas no inconsciente, afetam nosso presente e influenciam nosso futuro. São sentimentos de angústia, raiva, medo, rejeição, baixa-estima, etc. Através da análise, os sentimentos aprisionados nessas memórias são gradualmente liberados, gerando um alivio da tensão causada pelos mesmos, que estão presos em nosso inconsciente há anos. Essa liberação de afetos, reprimidos no passado, afetarão diretamente presente e futuro.

Voltar-se ao passado não é só uma questão de ficar preso a ele e se lamentar, mas sim a oportunidade de enfrentá-lo e criar para si outra história onde existe a possibilidade de haver liberdade. É se recriar. São muitos os que se mantêm atados ao passado e, assim vivem o presente, como se ainda estivessem num tempo que já não mais existe. Estão parados no tempo e viver dessa forma causa um empobrecimento na vida e porque não dizer, da Alma.

Por isso, enfrentar o passado e se reconstruir é uma forma de viver um presente, bem mais confortável e um futuro bem mais alentador.
           
 Para se compreender esse passado é preciso tempo e trabalho. Em outras palavras é necessário paciência para que as coisas comecem a fazer sentido. Não existe uma coisa tal qual uma “Fast-Análise” (análise rápida).  É como um trabalho artesanal que demanda dedicação. Se recriar é tal como uma obra de arte que necessita de atenção e muito amor.

Freud diz em sua obra, que “os neuróticos sofrem de reminiscências, ou seja, sofrem de lembranças do passado”.

Confúcio, pensador chinês da antiguidade, tem uma frase que expressa essa realidade:  “Para se entender o presente e construir o futuro, é necessário estudar o passado”.


       

Foto principal do post: Sergey Larenkov, fotógrafo russo http://troikcriativa.com/blog/?p=655 

sexta-feira, 2 de março de 2012

Tente outra vez...


Nossa maior fraqueza é a desistência. O caminho mais certeiro para o
 sucesso é sempre tentar apenas uma vez mais.
Thomas A. Edison
Tente outra vez...
Namastê

Que tu sejas abençoado por estar lendo esse artigo e que ele seja um companheiro de sua viajem pelo planeta agora e sempre.

Tenho visto algo que me entristece e consome energeticamente. Encontro com freqüência pessoas “sentadas à beira do caminho”, paradas, estagnadas, fazendo planos que não são ou serão cumpridos e lamentando-se de tudo o que planejam para viver, ser, fazer e simplesmente desistiram.
Seres com potenciais incríveis, com poder de realização e que se acomodaram no muro das lamentações. Pessoas que tem tudo para se realizarem e desistiram. Pessoas originais, inventivas e criativas que buscaram uma vida repetitiva, sempre igual.

Certa vez um mestre me disse: Viajei o mundo todo e cada país tem sua sombra,  sua fraqueza e a do Brasil é a desistência.
Concordo com esse pensamento e é por isso que, em um local tão rico do planeta, não temos justiça, segurança, sistema de saúde, educação séria, etc. As pessoas que supostamente dirigem o país desistem. Isso é assustador e radical observar que todos “iniciam na faixa branca e jamais alcançam a preta”

Os livros taoístas dizem que se há crise, observe o que é uma oportunidade de mudarmos de rumo de descobrirmos uma força maior que deve nos estimular a ir à frente. Sei que existem milhares de pessoas que enterram seus sonhos numa lapide escrita desistente. Elas o fazem sem insistir o suficiente. Qualquer dificuldade, já entregam os pontos.

Acredite: faça uma aposta alta em ti. Tente outra vez.
Não importa aonde você parou, em que momento desistiu.
Observemos tudo o que vai ficando para trás. Inacabado.
Uma nova formação? Ser um terapeuta?
A dança? Uma peregrinação espiritual.
As artes marciais?
Ser um Yoguim?
Pintura?
Fotografia?
Um grande amor?
As utopias amorosas e profissionais?

Nos tempos mais místicos e transcendentais, Raul Seixas fez um convite abençoado nessa música:

Veja
Não diga que a canção está perdida
Tenha fé em Deus, tenha fé na vida
Tente outra vez
Beba
Pois a água viva ainda está na fonte
Você tem dois pés para cruzar a ponte
Nada acabou
Tente
Levante tua mão sedenta e recomece a andar
Não pense que a cabeça agüenta se você parar
Há uma voz que canta, há uma voz que dança
Há uma voz que gira Bailando no ar
Queira
E basta ser sincero e desejar profundo
Você será capaz de sacudir o mundo
Tente outra vez
Tente
Não diga que a vitória está perdida
Se é de batalhas que se vive a vida
Tente outra vez

Abra seu coração a isso: tente outra vez, recomece a andar agora mesmo, pois nossa cabeça não agüenta se pararmos e deixarmos tantas situações “em aberto”. Não se sinta um derrotado e tente outra vez.
Te convido novamente: Decida hoje chegar até o fim no que inicia. Descida sobre o melhor e persiga o melhor.
Pensar grande é ter a dignidade de findar o que inicia. Para quem tem filhos, é apontar no exemplo pessoal que se deve viver o melhor com persistência. Que exemplo uma família desistente aponta aos mais jovens?

“Se pensamos pequeno...
Coisas pequenas teremos...
Já se desejarmos fortemente o melhor e, principalmente, lutarmos pelo melhor, o melhor vai se instalar na nossa vida.
E é o hoje o dia da faxina mental...
Joga fora tudo que te prende ao passado...
Em suas realizações o dragão da crítica e o mundinho da preguiça negativa, da falta de força, devem ser colocados de lado. Devemos jogar fora.
Ao mundinho de coisas tristes...
Fotos...
Peças de roupa, papel de bala...
Ingressos de cinema, bilhete de viagens...
E toda aquela tranqueira que guardamos quando nos julgamos apaixonados...
Jogue tudo fora...
Tire de ti os exemplos que partem da mídia, líderes políticos, e que  alguns
educadores nos deram de desistência e esteja aberto a idéia de que somos muito
maior do que pensamos ser.
Mas, principalmente, esvazie seu coração...
Fique pronto para a vida...
Para um novo amor...
Lembre-se: somos apaixonáveis...
Somos sempre capazes de amar muitas e muitas vezes...
Afinal de contas...
Nós somos o "Amor".

"Sou do tamanho daquilo que vejo e não do tamanho da minha altura”.
O planeta precisa de pessoas assim como você que sempre tenta outra vez.

Autor: Otávio Leal (Dhyan Prem)

“Nunca desista dos seus sonhos, pois a única saída dos fracos é a desistência das coisas e de seus sonhos, mas para os fortes a única alternativa é a persistência daquilo que tanto almejam!”
John Lennon


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...