quinta-feira, 31 de maio de 2012

Sedutor Fatal - Mania de Don Juan


Compulsão à sedução; Síndrome de Don Juan

O donjuanismo é um protótipo particular de comportamento humano, classificação esta estribada particularmente em valores culturais e morais.
Fica mais difícil entender os novos tempos, quando consideramos que as expressões ficar com... e sair com... significam a mesma coisa, apesar dos termos ficar e sair serem antagônicos. Donjuanismo é uma expressão em desuso que veio à tona há algum tempo, depois do filme Don Juan de Marco, com Marlon Brando e Johnny Depp. O filme Don Juan de Marco foi escrito e dirigido por Jeremy Leven.

Don Juan é um personagem literário tido como símbolo da libertinagem. O primeiro romance com referência ao personagem foi a obra El Burlador de Sevilla, de 1630, do dramaturgo espanhol Tirso de Molina. Posteriormente Don Jun aparece em José Zorrilla com a estória de Don Juan Tenorio. A figura de Don Juan foi também cultuada na música, em obras de Strauss e Mozart, este último com a ópera Don Giovanni, composta em 1787. Outro paradigma do eterno sedutor é a figura de Casanova, conhecida pela autobiografia do veneziano Giovanni Jacopo Casanova.

Mas a figura do eterno sedutor continua atrelada à Don Juan, que aparece ainda na obra de Molière, em Le Festin de Pierre, no poema satírico de Byron chamado simplesmente Don Juan, no drama de Bernard Shaw, chamado Man and Superman.

Segundo Jung, para quem qualquer forma de arte, assim como os mitos, são veículos para a expressão do inconsciente coletivo, Don Juan pode representar nossos arquétipos. Trata-se de um padrão de personalidade caracterizado por uma pessoa narcisista, enamorada, inescrupulosa, amada e odiada e que faz tudo valer para a conquista de uma pessoa.

O donjuanismo representa um protótipo particular de comportamento humano, classificada particularmente pelos valores culturais e morais. Não existe essa denominação no CID.10 ou DSM.IV, mas isso não significa, absolutamente, que por isso pessoas assim deixam de existir.

Independente das interpretações psicanalíticas sobre o filme Dom Juan de Marco, interessa aqui apenas caracterizar um tipo de conduta atual; a inclinação que as pessoas têm para liberdade sexual explícita. A característica principal do que se pode chamar hoje de donjuanismo, seria uma forte compulsão para sedução, entretanto essa característica não é isolada nem única na personalidade da pessoa, também não é exclusiva do sexo masculino.

Descreve-se o donjuanismo como uma personalidade que necessita seduzir o tempo todo, que aparentemente se enamora da pessoa difícil mas, uma vez conquistada, a abandona por desinteresse. As pessoas com esse traço não conseguem ficar apegado a uma pessoa determinada, partindo logo em busca de novas conquistasElas são os anarquistas do amor (Sapetti), tornando válidos quaisquer meios para conquistar, não obstante, os sentimentos da outra pessoa não são levados em consideração. Aliás, Foucault enfatiza essa questão ao dizer que Don Juan arrebenta com as duas grandes regras da civilização ocidental, a lei da aliança e a lei do desejo fiel.

Em psiquiatria clínica, entretanto, o desprezo para com o sentimento alheio pode ser critério para caracterizar uma atitude sociopática ou anti-social. Para o donjuan só interessa o hedonismo, o instante do prazer e o triunfo sobre sua conquista, principalmente quando a pessoa de seu interesse tem uma situação civil proibida (casada, freira, irmã ou filha de amigo, etc ou os correspondentes masculinos). Sobre essa característica o escritor Carlos Fuentes, alega ao seu Don Juan a frase: "Porque nenhuma mulher me interessa se não tiver um amante, marido, confessor ou Deus, ao qual pertença ...".

Normalmente essas pessoas ignoram a decência e a virtude moral, mas seu papel social tenta mostrar o contrário; são eminentemente sedutores. O aspecto de desafio mobiliza o donjuan, fazendo com que a conquista amorosa tenha ares de esporte e competição, muitas vezes convidando amigos para apostas sobre sua competência em conquistar essa ou aquela mulher. Não é raro que esses conquistadores tragam listas e relações das mulheres conquistadas, tal como um troféu de caça.

Por outro lado, segundo Kaplan, deve haver significativos sentimentos homossexuais latentes nesses indivíduos. Esse autor considera que, levando para a cama a mulher de outro, o donjuan estaria inconscientemente se relacionando com o marido, motivo maior de seu prazer. Tanto que é maior o prazer quanto mais expressivo é o marido ou namorado traído. O narcisismo (traço feminóide) dessas pessoas é uma das características mais marcantes, a ponto delas amarem muito mais a si mesmas que a qualquer outra pessoa conquistada. Outros autores acham o donjuanismo um excesso do complexo de Édipo, ou fixação na mãe, já que muitos deles não constituem família com nenhuma de suas conquistas e acabam vivendo para sempre com suas mães.

Nos casos mais sérios a inclinação à sedução pode adquirir caráter de verdadeira compulsão, tal como acontece no jogo patológico. De certa forma, apesar dessa conquista compulsiva servir-lhe para melhorar sua sensação de segurança e auto-estima, uma vez possuído o que desejava, já não o deseja mais. Em alguns casos o donjuan começa a se desestimular com a conquista quando percebe que a pessoa conquistada já está apaixonada por ele. Pode até nem haver necessidade do ato sexual a partir do momento em que ele percebe que a pessoa aceita e deseja o sexo com ele. Por outro lado, se a pessoa a ser conquistada é indiferente ou não cede à sedução, o donjuan se torna mais obstinado ainda.

Não será totalmente lícito dizer, como dizem alguns, que o donjuan se diverte com o sofrimento alheio. Na realidade parece mais que seja insensível ao sentimento alheio do que tenha prazer com ele. De fato, parece que eles não experimentam com o amor o mesmo tipo de sentimento que as demais pessoas. O amor neles é um sentimento fugaz, passageiro e que, continuadamente, tem o objeto-alvo renovado. Se algum déficit pode ser apurado na personalidade do donjuan, este se dá no controle da vontade.

Apesar dessa compulsão à sedução, isso não significa que a pessoa portadora de donjuanismo seja, obrigatoriamente, mais viril ou mais ativo sexualmente. Esse quadro não deve ser confundido com a Atividade Sexual Compulsiva onde, aí sim há hipersexualidade.

Portanto, a contínua sedução do donjuan nem sempre se dá às custas de um desempenho sexual excepcional, mas sim, devido à habilidade em oferecer às pessoas a serem seduzidas, tudo aquilo que elas mais estão querendo. Nesse sentido, todos eles são sempre muito inconstantes, desempenham papeis sociais sempre teatrais e exclusivamente dirigidos à satisfação de suas conquistas, por isso fazem sempre o tipo "príncipe encantado", tão cultuado pelo público feminino. As pessoas sedutoras têm habilidade em perceber rapidamente os gostos e franquezas de suas vítimas e são igualmente rápidos em atender as mais diversas expectativas.

Há quem considere como uma das características fundamentais da personalidade do donjuan uma acentuada imaturidade afetiva. O aspecto volúvel e responsável pela constante troca de relacionamento pode ser indício dessa imaturidade afetiva e indica, sobretudo, uma completa carência de responsabilidade ou medo de assumir os compromissos normais das pessoas maduras (casamento, família, filhos, etc.).


Grito de Alerta
Gonzaguinha

Primeiro você me azucrina
Me entorta a cabeça
Me bota na boca
Um gosto amargo de fel...

Depois
Vem chorando desculpas
Assim meio pedindo
Querendo ganhar
Um bocado de mel...

Não vê que então eu me rasgo
Engasgo, engulo
Reflito e estendo a mão
E assim nossa vida
É um rio secando
As pedras cortando
E eu vou perguntando:
Até quando?...

São tantas coisinhas miúdas
Roendo, comendo
Arrasando aos poucos
Com o nosso ideal
São frases perdidas num mundo
De gritos e gestos
Num jogo de culpa
Que faz tanto mal...

Não quero a razão
Pois eu sei
O quanto estou errado
E o quanto já fiz destruir
Só sinto no ar o momento
Em que o copo está cheio
E que já não dá mais
Pra engolir...

Veja bem!
Nosso caso
É uma porta entreaberta
E eu busquei
A palavra mais certa
Vê se entende
O meu grito de alerta
Veja bem!
É o amor agitando o meu coração
Há um lado carente
Dizendo que sim
E essa vida dá gente
Gritando que não...

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Tal pai, tal filho!

    Como Nossos Pais
                               
"O pertencimento a uma sociedade envolve um ponto paradoxal em que cada um de nós é obrigado a abraçar livremente, como resultado de nossa escolha, o que de todo modo nos é imposto (todos nós devemos amar nosso país, nossos pais, nossa religião)."  -  Slavoj Zizek  -  Como ler Lacan

Somos a imagem e semelhança de nossos pais, carregamos através do nosso código genético toda a carga de experiências vivida por nossos ancestrais até aquele ponto da evolução que culmina no que somos. Esta é a verdadeira senda do karma (conjunto de ações dos homens e suas consequências), é a grande oficina na qual vamos aprimorar nossa jornada evolutiva. Somos o espelho do karma que tramita através de toda a cadeia genética que a nossa ancestralidade representa, somos o resultado das experiências desenvolvidas, dos padrões de condicionamento, doenças e habilidades carreadas até nós, a partir de nosso código genético, que nos impregna das informações com as quais precisamos transformar em nossas vidas.

Talvez o seu jeitão, não seja genuinamente seu, quem sabe seja o jeito do seu avô agir dentro de você, do seu pai, ou da sua mãe. Quem é você de fato? Quem esta por trás das suas reações emocionais? O que você esta fidelizando dos programas familiares que sua vida esta reproduzindo?

A hereditariedade através da genética de nosso corpo, nossa mente, e nossos corpos sutis irão reproduzir as memórias ali construídas através da experiência que viaja no tempo e na evolução animal até chegar a você e a partir de então você é responsável por dar continuidade à melhoria desta jornada através da experiência pessoal. Neste sentindo, gosto de pensar o termo zodíaco, do grego zoo – animal – e diaco – ciclo, usado para descrever os ciclos astrológicos e que o seu sentido maior é este, ciclo animal, ou melhor, a cadeia pela qual evoluímos através dos ciclos de vida, de uma poligenesia, a própria cadeia do karma.

Nossos pais são a coagulação desta viajem no tempo, que é continuada através de nós e será continuado por nossos filhos, seguindo um ciclo interminável. Alhures, nossas personalidades são estruturadas a partir destas memórias, que formaram os nossos padrões reativos e os centros do habito que regerão nossos comportamentos e o nosso modo de ação na vida. Esta é a estrutura mental, o ego, onde toda a sua estrutura “do este sou eu” é arquitetada, como uma engrenagem que vai por sua historia em movimento.           


Segundo a alquimia, a vida na matéria é formada pela união dos elementos que compõe a sexualidade do pai, fogo e ar; e da sexualidade da mãe, água e terra, que ira compor de acordo com o grau de cada elemento neles organizados a nova vida, que é o resultado da tríade com o divino, para formar a trindade, o terceiro elemento, o filho. Esta união dos opostos, macho, fêmea, é a força que coloca a vida na forma em movimento, multiplicando a criação de Deus. O filho, o terceiro elemento, resultado dos dois, que vem da união dos elementos pai-mãe, será constituído a imagem da soma das informações biopsicoespirituais que vão constituir a personificação destes opostos nesta nova pessoa que dará continuidade a história.

A astrologia alquímica, diz que estas tendências ancestrais alimentam nossos centros vitais passando como energia fetal através dos chakras (canais dentro do corpo humano (nadis) por onde circula a energia vital (prana) que nutre órgãos e sistemas), todos os dias, de baixo pra cima, do chakra da base ao chakra da coroa, onde o ciclo se fecha, completando sua carga de influência em nosso psicossoma. Os alquimistas consideravam que os desvios de personalidade, da sexualidade e do caráter humano vinham de desequilíbrios destas energias ancestrais que se manifestavam através de tendências que poderiam ser tratadas com remédios alquímicos e astrológicos. 

Para os alquimistas este movimento de energia na serpente mercurial (DNA), permeia a aura humana com as energias peculiares do pai e da mãe. Onde, são descarregadas (upload) e ficam em movimento, alimentando os comportamentos e as reações emocionais. O nosso passado solar, a memória do pai dentro de nós, e o nosso passado lunar, o passado da mãe dentro de nós é o arquivo que compõe o acervo de modelos que iremos reproduzir na construção de nossos papéis e comportamentos.

Os padrões que regem nossas histórias se movimentam numa escala onde podemos dimensionar e compreender os resultados de nossas projeções em nossas vidas, e sabermos o grau em desvio que devemos corrigir de nosso padrão comportamental. Este desvio para os gregos da antiguidade clássica era chamado de pecado; e seria como o desvio da luz, a refração. Logo, o pecado, seria o desvio original do desejo. O desejo primevo, original, o anseio do ser. A este estado de desvio os terapeutas de Fílon de Alexandria chamavam de pathos, raiz da palavra patologia, doença, que para tratar e reorientar o desejo em desvio, o pecado, ou ainda, a doença, era preciso que a pessoa passasse por um processo de “terapéia”, ou terapia, que era um conjunto de técnicas para uma práxis de vida em harmonia com a essência, o ser, com a consciência do EU SOU, o self.

Este é um processo de totalidade, de gnose e individuação, o ser entra em comunhão com outros aspectos de sua consciência e elas se integram e se harmonizam como a orquestração de uma polifonia da alma. Quando somos capazes de amadurecer e transcender aos papéis e as fases da vida, passamos a ter uma consciência ampliada e o resultado disto é uma capacidade para reger os acontecimentos da vida sem se perder neles tendo um poder muito maior de realização e satisfação pessoal, este estado de visão, trás em si uma assertividade e uma resiliência maior para encarar os momentos da vida, e sermos bem resolvidos.

Este processo de cura consiste em abraçarmos nossos pais e nossos ancestrais e nos reconciliarmos com eles, numa grande confraternização e entendimento interior. Integrarmos-nos ao poder de suas experiências e forças arquetípicas, acolhê-los em seus ferimentos e tomar como missão pessoal a cura e a transcendências destes antigos padrões arquetípicos familiares que vem viajando no tempo.

Como diria uma canção de um poeta de minha terra, Belchior: “nossos ídolos ainda são os mesmos e as aparências não enganam não”. “Minha dor é perceber que apesar de termos feito tudo o que fizemos, nós ainda somos os mesmos e vivemos como os nossos pais”. – nos queixamos deles mas fazemos as mesmas coisas, somos motivados pelas mesmas coisas, podemos começar um grande trabalho interior curando o nosso “pai interior”, nossa “mãe interior”, percebendo como funcionamos e mudando nossos modelos de ação e hábitos, para integrarmos o que há de melhor de nossa herança ancestral.      

por Paulo Rubens Nascimento Sousa


sexta-feira, 18 de maio de 2012

Causas das doenças na visão Metafísica


"Acredito que é hora de pararmos para nos perguntar por que um organismo que sempre foi capaz de se adaptar e se defender preservando a saúde fica doente de uma hora para outra. Ou, ainda, por que desenvolvemos um tipo de doença em um certo local do corpo e não em outro? A Metafísica moderna tem investigado e encontrado dramáticas e surpreendentes leis que nos revelam como funcionamos. Esta obra traz uma nova visão de vida e ensina a compreender os sinais de seu corpo muito antes que a doença chegue." (Gasparetto)



A maior parte das pessoas atribui à sorte ou ao azar, ao acaso ou a um poder superior, a causa e o comando de tudo que lhes acontece na vida. Assumem posturas internas, se tornando vitimas da situação. A Metafísica da Saúde mostra que 99% das situações de doenças são causadas por padrões de comportamento e pensamento que trazemos conosco. Até o padrão familiar, muitas vezes passando de pai para filho, causa desequilíbrios emocionais e físicos. Muitas vezes o filho não desenvolve a doença que existe em família, por causa do patrão de pensamento e comportamento diferenciado, isso quer dizer que o indivíduo pode ter a tendência, mas não desenvolve pela maneira de ser. 



Na Metafísica acredita-se nos registros subconscientes, onde fica registrado o conteúdo vivido que serve de fonte de consciência. Exerce significativa influência nas atividades mentais. Desempenha importante função como arquivo do que você já validou e escolheu como verdade.




CRENÇAS
As crenças podem se originar dos valores morais ou religiosos que nos são passados pela educação ou formulados através de nossas próprias experiências. Elas representam as certezas interiores ou aquilo que tomamos como verdadeiro para nós. Na maioria das vezes são adotadas sem nenhum critério seletivo, não questionamos se esses valores ainda servem para a realidade atual, por isso eles são falsos valores. Porém aqueles que são formulados como resultado de nossas vivências são mais realistas, por isso nós os consideramos valores verdadeiros.

As crenças estabelecidas ao longo de sua existência determinam a maneira como você encara os fatos da vida e servem de base para a escolha de como você deve reagir e se comportar. Para cada pensamento teremos uma reação em nosso sistema ou uma sensação. Assim eles também determinam a qualidade de bem ou mal-estar de seu dia-a-dia. De certa forma, nossas crenças moldam a realidade, reproduzindo no ambiente externo aquilo que concebemos interiormente. Cada um vive de acordo com suas próprias crenças. Se você acredita no bem, terá bons pensamentos, consequentemente sua vida seguirá por um curso harmonioso. Já aqueles que acreditam no mal são maliciosos, veem maldade em tudo, acabando por atrair episódios ruins.

Ser otimista é pensar nas perspectivas favoráveis de uma situação, enquanto ser pessimista é nutrir pensamentos negativos e dar muita importância aos obstáculos.

MENTE
A mente é comandada por você, por seu livre-arbítrio. De modo geral, aquilo que se pensa sobre si mesmo e sobre a vida determina a realidade à sua volta. Nutrir ideias de inferioridade o faz sentir-se imperfeito. Essa postura criará um cenário desolador, onde você será o protagonista. Para que a condição interna se torne realidade, é necessário crer de forma total, visceral, apaixonadamente ou a corporificar tais ideias. 


Não adianta só desejar, é necessário sentir para que se torne real, caso contrário, mesmo querendo ter bons resultados, se os pensamentos não forem fortes o suficiente para impressionar e para se imprimir em nosso sistema, os resultados não serão alcançados. Todos aspiram a alcançar seus objetivos na vida, mas isso não é suficiente por si só. Para obter sucesso é preciso sentir-se no direito de usufruir os privilégios de ser bem-sucedido. Não basta almejar um bom emprego ou fazer bons negócios, é preciso sentir-se em condições de ser contratado e merecedor da oportunidade profissional. É preciso ter isso implantado em seu sistema, de forma que pareça ser completamente natural. A força do pensamento atua tanto nas funções biológicas do corpo como no ambiente ao redor.

Os cientistas afirmam que não existe nada individualizado no homem, que tudo é um conjunto integrado. Assim, somos sentimentos, emoções, espírito, neurônios e o corpo inteiro. Na visão metafísica, isso se estende também ao ambiente, às pessoas ao redor e ao universo. Portanto, o que é considerado mente na verdade são atributos naturais e não possuem fim ou começo. As concepções mentais são capazes de abranger todo o universo, podendo exercer algum tipo de influência nele.



 DOENÇA
Se você apresenta algum problema físico, é importante perceber qual aspecto da vida está deixando de fluir adequadamente. A doença é a manifestação dos conflitos interiores. Antes de ocorrer a somatização, a pessoa apresenta problemas de ordem emocional, como angústia, depressão, medo, etc. Essa condição interna é um aviso de que sua atuação na vida é inadequada a seu temperamento. Ela acusa a postura embaraçosa de alguém que está se boicotando em favor dos outros e se desviando de seu verdadeiro ser.

Esse mecanismo existe para alertar e não para castigar. Desse modo você poderá perceber o mal que está fazendo para si mesmo. A partir do momento que há um reposicionamento interior, resgata-se a harmonia e consequentemente a saúde. É você quem cria as condições propícias à manifestação das doenças. Da mesma forma, você também tem a capacidade de destruí-las e sarar. Talvez seja difícil conceber que você é a causa dos distúrbios da saúde, pois aprendeu erradamente que o corpo fica doente sem a sua participação.

A metafísica vem mostrando que cada um é responsável por tudo que acontece em seu corpo. Uma vez já somatizada a doença, é preciso ter o acompanhamento médico para restabelecer o físico. Paralelamente ao uso de medicamentos, é necessário mudar as atitudes inadequadas que causam prejuízos emocionais e físicos. Os remédios tratam o físico, fortalecem temporariamente o corpo e eliminam os sintomas. Mas, se você não mudar a condição interna que está gerando a doença, ela surge em outra área do organismo.

Para encontrar as causas metafísicas das doenças não é necessário se pressionar, nem se obrigar a chegar à raiz do problema. Assim você estará indo contra si próprio, e isso abala ainda mais sua condição interna, agravando os sintomas físicos. A resposta surge naturalmente, basta olhar para si mesmo e tentar descobrir em que área da vida você não tem fluído bem. Observe o que está afetando sua estabilidade emocional e, finalmente, o que o leva a ficar nesse estado. Você pode até ter razão por se sentir assim, no entanto isso não faz bem emocionalmente e afeta o corpo. Procure resgatar a serenidade, não se julgue nem se deixe afetar pelos julgamentos dos outros. Dê-se força, não se obrigue a nada, deixe a consciência agir sobre você. Admita o fato de não estar encarando a situação da melhor maneira, procure adotar uma nova postura de vida. Desse modo você estará resgatando sua integridade moral, consequentemente a dor física deixará de existir.

DOR
A dor é uma sensação exagerada, com o intuito de despertar a consciência para as nossas inadequações. Ela não é o único caminho para o progresso espiritual, como muitos pensam. Ela faz parte da vida daqueles que resistem ao fluxo natural do ser e persiste enquanto não houver a reformulação interior. Essa transformação pode ocorrer naturalmente durante o período de convalescença, sem que a pessoa associe seu emocional afetado com a doença, apesar de estarem intimamente interligados. A dor promove um estado de reflexão. O simples fato de se abster da dinâmica do cotidiano por conta de sua condição debilitada já é um fator positivo para se trabalhar interiormente.

Quando isso acontece, a pessoa altera seus valores e supera esse período obscuro de sua vida com uma nova postura. Ninguém sai de uma fase de sofrimento com a mesma cabeça, porque a situação só muda se você mudar. A dor tem um poder de transformar o indivíduo. Ela é uma condição extrema para superar os bloqueios instalados durante a trajetória de vida. Ela só passa definitivamente quando a pessoa muda sua atitude interna. A cura é uma combinação do tratamento físico com o reposicionamento interior. Do mesmo modo que é importante procurar o médico, também é necessário investigar as causas emocionais. Uma vez reparada a condição interna, o tratamento físico se torna mais eficaz. A consciência metafísica acelera o processo de recuperação, por indicar em você aquilo que está mal resolvido. Partindo disso, é só ter boa vontade, abandonar a vaidade e não ser resistente, que a reformulação acontece com naturalidade.

Sistema Respiratório
Significa inspirar e expirar. O processo expressa a capacidade de absorver e se expor ao âmbito de troca, do dar e do receber. Se a pessoa lidar bem com isso em sua vida seu sistema respiratório será saudável.
Para amenizar os problemas respiratórios é necessário que se abra para a vida e aprenda a absorver o que está acontecendo à volta.

Sistema Digestivo
Está relacionado com a elaboração e aceitação dos acontecimentos. É como digerimos as situações da vida. A má digestão está relacionada à intolerância pelo alimento. Sua relação metafísica é com a recusa da situação que está atravessando. A não aceitação de algum processo da vida reflete-se na recusa do organismo pelos alimentos.

Sistema Circulatório
Esta função está associada metafisicamente à circulação da ideias pelo interior do ser. Reflete a maneira de como a vida está fluindo.
O bom fluxo do ser pelas diversas situações do cotidiano resulta em sucesso pessoal, consequentemente, em saúde física. Já os bloqueios e as resistências promovem o fracasso e também podem somatizar sob a forma de complicações circulares.

Sistema Urinário
Corresponde à manifestação dos sentimentos que estabelecem os relacionamentos afetivos.
A arte de relacionar-se consiste em manter a individualidade na convivência; aprender a ceder sem abandonar-se, preservar suas características sem impor sua vontade tampouco sufocar o parceiro.

Sistema Reprodutor Feminino
O grande desafio da mulher consiste na aplicação desse talento do ser.
Este talento se caracteriza pelo acolher o outro, envolver-se com as situações ao redor e até mesmo ceder à influência do seu próprio ego sem perder a integridade. Não se reprimir tampouco anular suas necessidades pessoais diante daqueles que lhe são caras.

Sistema Reprodutor Masculino
No âmbito metafísico o aparelho reprodutor expressa qualidades masculinas: o fluxo da criatividade, a manifestação do prazer e as características individuais do homem.
A necessidade de se colocar à frente dos acontecimentos e direcionar sua atuação na vida de forma a conquistar aquilo que almeja caracteriza a masculinidade.

Sistema Muscular
Representa a presença e atuação na vida. Capacidade e força realizadora, como nos colocamos naquilo que fazemos.
Os músculos ficam tencionados quando as ações são contidas em virtudes da resistência ao fluxo de um impulso natural ou imaginário.

Sistema Articular
Saber ceder e ser flexível no momento certo dá consistência interior. A consistência interior proporciona condições para administrar melhor à vida. As articulações são conexões funcionais entre dois ou mais ossos que permitem o movimento do corpo.

Sistema Esquelético
Representa ser firme naquilo que sente e não apegado aos critérios adotados. Eles representam a base de sustentação do ser na vida.

Sistema Endócrino
O Sistema Endócrino correlaciona-se metafisicamente com a estruturação interna do ser. É através dele que o corpo se faz atuante.
As glândulas interagem entre si, formando uma cadeia que coordena as funções do corpo. Elas lêem atitudes internas, refletindo em toda a estrutura orgânica através dos hormônios. Os estímulos hormonais são impulsos que sugerem a renovação dos padrões internos.

Sistema Nervoso
O sistema nervoso é um sistema receptor, porque está ligado á captação e percepção.
É a questão de notar e perceber e é a visão interior que leva à tomada de consciência.
Ele recebe todos os estímulos da vida e os transforma em algo que a consciência percebe. O sistema nervoso central, por ser responsável pela transmissão dos impulsos, é o caminho por onde percorrem as vontades, passando por regiões onde se alojam as crenças, valores e os registros que convencionam a agir de uma determinada forma frente às situações da vida. Quem retém os sinais dos impulsos nervosos geram bloqueios que resultam em nervosismo. Geralmente, quando a pessoa se reprime, são avaliadas as situações externas como causadora da sua repressão, no entanto, o que define uma condição interna são as atitudes mantidas frente às situações da vida.

Sistema Linfático
Metafisicamente o sistema imunológico representa: ser integro e atuante. Ter total domínio de si nas diversas situações da vida. O sistema imunológico é como o exército de um país que defende o território. O timo é o quartel general, o baço é a reciclagem e as células relacionam se a defesa que trabalha na fronteira.
Baço: Dínamo do corpo, metafisicamente é a fonte de vitalidade, mantém o vigor físico e a determinação.
Timo: Sentir-se protegido e amparado. Se defender de qualquer ataque

domingo, 13 de maio de 2012

Mães, Deus as abençoe e Proteja!




Que vida louca levamos nós, mães modernas, mães do século 21, mães de filhos únicos, ou de muitos filhos que se tornam únicos pelo pouco tempo que conseguimos ter para cada um...


Que vida louca temos nós, que acordamos ao raiar do dia e saímos para o trabalho delegando a outras, que em casa deixam seus filhos também, que sejam as mães que nossos pequenos não tem ...

Que vida louca temos nós que somos mães por telefone em tempo integral, que fazemos de nosso horário de almoço um momento para checar a lancheira, arrumar uniforme, fazer “Maria chiquinhas” e ter tempo de lembrar as antigas mães e mandar seu filho escovar os dentes...



Que vida corrida temos nós, cheia de horários marcados com momentos de ser mulher, mãe, amiga, esposa, profissional, namorada... somos muitas e as vezes não conseguimos ser tudo... 


Vivemos uma rotina que rotina mesmo quase não tem , pois o dia é sempre um mistério para aquelas que tem filhos, afinal nunca sabemos se o dia que começou é o dia marcado para a dor de garganta chegar, ou para a prova surpresa de matemática, ou para briga com o amiguinho na escola, ou para pesquisa sobre o relevo que ele esqueceu de te avisar... Sabemos apenas que vivemos assim....


Acordar... trocar de roupa para o trabalho, esperar pacientemente que sua secretária do lar não falte, olhar seu filho dormindo por mais alguns minutos e ter vontade de ficar com ele só por hoje um dia inteiro, sair de casa, despedir-se do filho e dar muitas ordens a empregada que a deixam perdida... ir para o trabalho, ser profissional, ser mulher moderna, ser guerreira, lutar pra vencer, fazer a diferença no mundo profissional...



Ligar ao longo do dia para marcar pediatra, fugir correndo do serviço para assistir a apresentação da escola no dia das mães, procurar alguém para buscar seu filho na escola porque hoje apareceu uma reunião e não tem como ir, e sempre acabar contando com a sua mãe para te fazer esse eterno favor... 


Correr, preocupar-se, desdobrar-se vencer o dia, e ainda chegar em casa checar a tarefa, supervisionar o banho, fazer mil e uma perguntas sobre o dia de seu filho, sentir-se culpada por não ser mais presente, brincar, dar atenção, cantar uma música, ler uma história, assistir pela bilionésima vez o filminho da Disney e acabar adormecendo ali, na caminha de solteiro ou do lado do berço, cansada, mas realizada por ter sido por mais um dia MÃE...

Escolhi este Vídeo Produzido pela PG porque mostra que Mãe é igual em qualquer parte do Planeta...Ela sempre será aquela que Ama e cuida, com o Amor Incondicional e o carinho de um Anjo Guardião! 

 


Parabéns a todos as Mamães da Terra.

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Não estás deprimido, estás distraído – belíssima reflexão!

Não estás deprimido, estás distraído…  

Distraído em relação à vida que te preenche…  
Distraído em relação à vida que te rodeia. 
Golfinhos, bosques, mares, montanhas, rios.
Não caia como caiu teu irmão que sofre por um único ser humano 
quando existem cinco bilhões e seiscentos milhões no mundo.
Além disso, não é assim tão ruim viver só. Eu fico bem decidindo 
a cada instante o que fazer e graças à solidão conheço-me.  
O que é fundamental para viver. Não faça o que fez teu pai que tem setenta anos e esquece que Moisés comandou o êxodo aos oitenta e Rubinstein interpretava Chopin com maestria sem igual aos noventa, para citar apenas dois casos conhecidos.

Não estás deprimido, estás distraído. 
Por isso acreditas que perdeste algo, o que é impossível, porque tudo te foi dado. Além disso, a vida não tira coisas, te liberta de coisas e até alivia-te para que possas voar mais alto, para que alcances a plenitude. Do útero ao túmulo, vivemos numa escola; por isso o que chamas de problemas são apenas lições. Não perdeste coisa alguma. Aquele que morre está adiantado em relação a nós, porque todos vamos na mesma direção. E não esqueças, o melhor Dele, o amor, continua vivo em teu coração.

Não existe a morte… Apenas a mudança. 
E do outro lado te esperam pessoas maravilhosas: Gandhi, Madre Teresa, teu avô e a minha mãe, que acreditava que a pobreza está mais próxima do amor porque o dinheiro nos distrai com coisas demais e nos machuca porque nos torna desconfiados.
Faz apenas o que amas e serás feliz. Aquele que faz o que ama está benditamente condenado ao sucesso, que chegará quando for a hora,  porque o que deve ser será e chegará de forma natural.
Não faças coisa alguma por obrigação ou por compromisso, apenas por amor
Então terás plenitude e nessa plenitude tudo é possível sem esforço, porque és movido pela força natural da vida, a mesma que me ergueu quando caiu o avião que levava minha mulher e minha filha;  a mesma que me manteve vivo quando os médicos me deram três ou quatro meses de vida.
Deus te tornou responsável, porém como ser humano que és tu. 
Deves trazer felicidade e liberdade para ti mesmo. 
E só então poderás compartilhar a vida com os outros.
Lembra-te: “Amarás o próximo como a ti mesmo”. 

Reconcilia-se contigo, coloca-te na frente do espelho e pensa que esta criatura que vês é uma obra de Deus, e decide neste exato momento ser feliz, porque a felicidade é uma aquisição. 
Aliás, a felicidade não é um direito, mas um dever, porque se não fores feliz estarás levando amargura para todos os teus vizinhos.
Um único homem, que não possuía talento ou valor para viver, mandou matar seis milhões de judeus, seus irmãos.
Se estás com câncer ou AIDS podem acontecer duas coisas, e ambas são positivas: se a doença ganha, te liberta do corpo que é cheio de 
processos (tenho fome, tenho sono, tenho vontades, tenho dúvidas…). Se tu vences serás mais humilde, mais agradecido, portanto, facilmente feliz, livre do enorme peso da culpa, da responsabilidade e da vaidade, disposto a viver cada instante profundamente. 
Como deve ser.

Não estás deprimido, estás desocupado.
Ajuda a criança que precisa de ti, essa criança será sócia do teu filho. 
Ajuda os velhos, e os jovens te ajudarão quando chegar a tua vez. 
Aliás, o serviço prestado é uma forma segura de ser feliz, como é gostar da natureza e cuidar dela para os que virão.
Dá sem medida e receberás sem medida.
Ama até que te tornes o ser amado. 
Mais ainda, converte-te no próprio amor. E não te deixes enganar por alguns homicidas e suicidas. 
O bem é maioria, mas não se percebe porque é silencioso. 
Uma bomba faz mais barulho que uma carícia. Porém para cada bomba que destrói, há milhões de carícias que alimentam a vida. 

Para complementar as lindas palavras de Facundo Cabral, coloquei esse vídeo com fragmentos do poema "Não estas deprimido, estás distraído". Belo trabalho! 

Facundo Cabral (Balcarce, 22 de maio de 1937 - Cidade da Guatemala, 9 de julho de 2011) foi um compositor, cantor, compositor, jornalista, escritor e poeta argentino. Em tenra idade seu pai deixou a casa deixando a mãe com três filhos, que emigraram para Tierra del Fuego no sul da Argentina. Cabral teve uma infância dura e desprotegida, tornando-se um marginal, a ponto de ser internado em um reformatório. Em pouco tempo conseguiu escapar e, segundo conta, encontrou Deus nas palavras de Simeão, um velho vagabundo. Em 1970, ele gravou "No Soy De Aquí, Ni Soy De Allá" e seu nome fica conhecido em todo o mundo, gravando em nove idiomas e com cantores da estatura de Julio Iglesias, Pedro Vargas e Neil Diamond, entre outros.Influenciado, no lado espiritual, por Jesus, Gandhi e Madre Teresa de Calcutá, na literatura por Borges e Walt Whitman, sua vida toma um rumo espiritual de observação constante em tudo o que acontece em seu redor, não se conformando o que vê, durante sua carreira como um cantor de Música Popular e, toma o caminho da crítica social, sem abandonar o seu habitual senso de humor. Como um autor literário, foi convidado para a Feira Internacional do Livro, em Miami, onde conversou sobre seus livros, entre eles: “Conversaciones con Facundo Cabral”, “Mi Abuela y yo”, “Salmos”, “Borges y yo”, “Ayer soñé que podía y hoy puedo”, y el “Cuaderno de Facundo”. Em reconhecimento do seu constante apelo à paz e amor, em 1996, a Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) o declarou "Mensageiro mundial da Paz”.Morreu assassinado na Cidade da Guatemala quando se dirigia para o aeroporto, depois de um concerto. Por volta das 5h45m, Cabral, o seu representante e o seu empresário receberam múltiplos disparos, sendo vítimas de um confuso atentado perpetrado por vários bandidos armados com fuzis de assalto.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...